PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

“Socorro: meu marido assiste pornografia. Eu deveria me divorciar?”

Karin Hueck

28/02/2020 04h00

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

Olá. Estou surtando no meu relacionamento. Sou casada há 10 anos, temos uma filha de 5 anos, e sempre soube que o meu marido assistia pornografia. Mas ele sempre prometeu que ia parar e isso nunca aconteceu, por isso pedi o divórcio e ele saiu de casa. Ficamos separados por 5 dias e ele prometendo mudar, querendo voltar. Dei uma oportunidade e voltamos há 3 meses. Não peguei ele assistindo pornografia, mas sei que ele vem tendo contato com as clientes do trabalho dele, coisa que, antes, não fazia. Falei que não gosto disso e ele respondeu que não apagará os contatos no WhatsApp, porém não estou vivendo bem. Eu não aceito, podem me chamar de cafona, mas tenho feridas abertas devido à pornografia. Me sinto feia em relação às mulheres das fotos e dos vídeos que ele assistia. Acho que não nasci para casar, tenho que viver só, tenho trauma e acho que ele vai me trair a qualquer momento. Não tenho vontade nem de falar com ele, ele fala comigo respondo o necessário. Acho que vou embora, ele continuará mantendo contato com elas, então prefiro me afastar. Cansei de sempre perdoar e fazer de conta que nada aconteceu.
Ass.: Sofrendo

Cara sofredora
Acho que você está exigindo demais do seu marido. Você não menciona nem um único fato concreto que prove que ele está te traindo. Sei que pornografia não é a coisa mais maravilhosa do mundo e pode ser condenável em muitos aspectos, mas a verdade é que vai ser difícil você encontrar alguém que não assista ou tenha assistido na vida. Está dentro do hábitos considerados "normais" de uma pessoa. Sobre as mulheres no WhatsApp: ao que tudo indica, são contatos profissionais. Hoje em dia, todos os seres humanos do planeta se comunicam pelo WhatsApp: médicos e pacientes, vizinhos de condomínio, pais da escola dos filhos, e até passageiros do mesmo ônibus. De novo, você não tem nenhum indício de que o seu marido esteja te traindo. Pelo tom dramático da sua carta e por você mesma saber que pode estar exagerando, sugiro que você procure terapia. Vai ser bom olhar para as suas questões de autoestima e necessidade de controle – e acho que o grande beneficiado vai ser o seu casamento.

 

Veja também:


Olá, tenho 24 anos, sou mãe de um menino de 5 e uma menina de 2 anos. Às vezes eu choro pois sinto que, de alguma forma, eu culpo meus filhos pela minha vida. Minha gravidez não foi planejada, e deixei de estudar quando engravidei, deixei amigos para trás, larguei tudo pelo meu filho. O pai biológico não quis assumir. Casei com outra pessoa e aí tive minha filha. Às vezes, me sinto exausta. Olho para trás e penso como seria a minha vida se tudo isso não tivesse acontecido, e depois eu choro me sentindo uma mãe inútil. Eu amo demais meus pequenos, me sinto culpada por culpá-los. Faço tudo pelos meus filhos, luto a cada segundo por eles, mas eu penso assim às vezes.
Ass.: Má mãe


Cara má mãe,
Você já deixou seus filhos sem comer? Já se recusou a dar colo quando eles choraram? Já os deixou correndo perigo de vida? Já desapareceu da vida deles (como fez o pai do seu primeiro filho)? Eles têm o que vestir e onde morar? Você os abraça e diz que os ama? Se você cumpre todas essas exigências, você não deveria se sentir culpada por alguns dos pensamentos que passam na intimidade da sua mente. Todo mundo questiona as escolhas que fez na vida. Todo mundo acha que a grama do vizinho é mais verde. Você é mãe de dois filhos pequenos – um momento conhecido como a Fase Mais Exaustiva da Experiência Humana – e tem motivos de sobra para estar frustrada com a sua rotina. Se os pensamentos negativos ficarem recorrentes demais, porém, ou se você se sentir triste e desmotivada, aí é bom procurar ajuda profissional.

Sobre a Autora

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados.

Sobre o Blog

Se Conselho Fosse Bom é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas.

Se Conselho Fosse Bom