PUBLICIDADE

Topo

Se Conselho Fosse Bom

“Eu sustento o meu amante, mas ele se apaixonou por mim. Devo terminar?”

Karin Hueck

21/02/2020 04h00

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

Sou casada há 16 anos com o homem que tirou minha virgindade. Mas isso não quer dizer que só transei com ele. Tive vários relacionamentos depois disso, tanto que tive uma filha com um desses relacionamentos.  Porém, depois de um certo tempo, quando minha filha já estava maiorzinha, me casei com o homem com quem perdi minha virgindade. No início do nosso casamento, o sexo era maravilhoso. Transávamos a qualquer hora e em qualquer lugar. Eu gozava horrores e me sentia nas nuvens. Mas com o passar do tempo, o sexo mudou. Já não transávamos tanto como antes e, por mais que ele se esforçasse, não conseguia me fazer gozar. Somente ele se satisfazia. Eu, para poder me satisfazer, tinha que ir para o banheiro e me tocar. Ou imaginar que estava traindo o marido. Só assim conseguia gozar. Foi aí que eu resolvi fazer um perfil falso no Instagram e acabei conhecendo o *Pedro*. Um rapaz de 24 anos (eu tenho 42), malhado e cheio de vida, porém, desempregado e doido para ser sustentado por uma mulher. Foi então que pensei: por que não entrar nessa aventura? Fomos nos conhecendo pouco a pouco e começamos a conversar todos os dias. Comecei a sustentá-lo então. Comecei a pagar todas as dívidas dele e a dar presentes e agradinhos toda semana. Fomos ficando muito próximos e hoje posso dizer que ele depende totalmente de mim. Dou uma mesada a ele todo mês e nos encontramos uma vez por semana. É como se eu pagasse para ter prazer. Mas é muito além disso. Ele me ama e tem medo de me perder. Ele sonha em se casar comigo e ficar comigo para sempre. Apesar de sentir um carinho especial por ele, eu amo meu marido e nunca o deixaria para ficar com esse garoto. Eu estou com ele simplesmente pelo sexo, pelo prazer que ele me proporciona e que nunca senti pelo meu marido. Mas, pelo lado dele, não é assim. Não sei se é pelo comodismo de eu proporcionar tudo a ele ou tem medo de perder tudo isso. Ele também morre de ciúmes de mim e só aceita me dividir com meu marido. Eu sei que ele não me trai, porque me dá satisfação de tudo e por eu saber sempre onde ele está e com quem. Queria um conselho. Levo esse relacionamento adiante, mesmo sabendo que eu não o amo, ou caio fora e procuro outro para me satisfazer?
Ass.: Quantos amantes posso ter?

Cara quantos amantes,
Todo mundo tem o direito a uma vida sexual satisfatória e entendo a frustração que você deve estar sentindo com o seu marido – mas, por mais bem-resolvida que você possa se sentir com esse rapaz, você está, sim, enganando o seu companheiro. Sei que a sua dúvida não foi essa, mas mentiras elaboradas como essa sua vida dupla costumam vir à tona mais cedo ou mais tarde. Cogite ser sincera sobre a sua insatisfação sexual ou sugira que você possa procurar outras formas de se sentir mais ˜realizada˜, e veja o que ele diz. Sobre o seu amante: acho estranho que você o sustente, na verdade. Como quase sempre acontece em relacionamentos com grande diferença de idade, vocês estão em momentos muito diferentes de vida, e ele tem muito menos recursos – financeiros, afetivos, emocionais – do que você. Ele tem o direito de procurar uma pessoa disponível, da qual ele não seja dependente, que possa se casar com ele e começar a vida em pé de igualdade. O melhor que você pode fazer é parar de prendê-lo.

Veja também

 

Depois de uma grande decepção amorosa, resolvi então namorar um homem mais velho. Na época, eu não pensava que a idade seria um problema, mas com o tempo virou um tormento na minha vida. Tenho dois filhos com ele que são a razão da minha vida. Mas eu tenho 35 anos e ele 64. Eu quero me separar porque não tenho relações amorosas com ele, apenas o convívio por causa das crianças. Ele já está aposentado, portanto passa o dia todo em casa. Já tentei me separar, mas ele me ameaça dizendo que o valor da pensão vai ser pouco e que não vai me dar mais nada. Ele já está com problemas por conta da idade, já foi operado duas vezes e a família não quer saber de ajudar. Vivo estressada com meus filhos e por causa dele. Por favor, me ajude pois eu não suporto mais!
Ass.: Na flor da idade

Cara na flor da idade,
Sua carta é o exemplo perfeito do que eu disse lá em cima: os problemas que surgem em relacionamentos com diferenças de idade muito grandes e nos quais uma pessoa depende completamente da outra. Não sei as particularidades do seu caso, mas me parece que a primeira coisa que você deveria fazer é consultar um advogado de família para ver o que realmente aconteceria em caso de separação. Se puder, procure uma fonte de renda própria também. O melhor que você pode fazer é tentar entender quais são as suas opções daqui para frente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre a Autora

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados.

Sobre o Blog

Se Conselho Fosse Bom é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas.