PUBLICIDADE

Topo

Histórico

“Meu namorado, que foi exposto ao coronavírus, quer que eu more com ele”

Karin Hueck

19/06/2020 04h00

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

Imagem: Pexels.

Namoro um rapaz há seis meses, mas moramos cada qual em sua casa e em cidades distantes. Sua família tem uma pizzaria no bairro com o segundo maior índice de infecção e morte de Covid-19 do estado, e nela trabalham meu namorado e irmão, pois os pais idosos se afastaram para ficar em casa. Em maio, minha sogra começou a passar mal e veio a óbito por Covid. Meu sogro e cunhado testaram positivo, mas não desenvolveram a doença. O teste do meu namorado deu negativo. Ele e o irmão continuam trabalhando na pizzaria (onde outros três funcionários também já pegaram a Covid). Agora meu namorado quer que eu vá morar com ele justo nesse momento, mesmo sabendo do risco de se infectar e passar para mim. Não quero ir pois estou em casa agora e segura, pois trabalho home office. Será que estou agindo mal em não ir?
– Segura em casa
– Cara Segura em casa
Eu sinto muito pela sua sogra. Que tragédia horrível. Mas você não deve ir morar com o seu namorado agora. É uma ideia um pouco descabida, até, ele pedir para você se expor ao vírus nesse momento, sendo que vocês moraram em casas e cidades separadas ao longo de todo o namoro. Mesmo sem a pandemia, morar junto seria um passo bem grande para um casal que conviveu pouco e está junto há apenas alguns meses. Ao mesmo tempo, vamos lembrar que ele acabou de perder a mãe e deve estar em luto e precisando de apoio. A pandemia está deixando todo mundo desamparado e solitário. Seja carinhosa e paciente, mas firme. Diga que você quer ajudá-lo, e está pronta para ouvi-lo e apoiá-lo em tudo que for preciso, mas que colocar mais uma pessoa no meio de um foco de transmissão não é uma boa ideia.

Veja também:

Olá, tenho um amigo cujas atitudes e comportamentos me incomodam desde a adolescência. Não sei explicar porque sempre relevei o assunto e segui com a amizade. Fato é que eu não tenho mais qualquer paciência para lidar com ele. Realmente, perdi o interesse na amizade, ou, pelo menos, por um contato mais próximo e constante como atualmente. Para piorar, amigos e colegas em comum relatam os mesmos incômodos, e ele tem sido alvo de várias conversas maldosas pelas costas. Meu dilema é: eu devo apenas me afastar dele, sem explicar os motivos ou devo enfrentar o constrangimento e expor tudo que me incomoda? Eu fico me perguntando que direito tenho em apontar o dedo e criticar diretamente uma pessoa que nunca tenha fez o mesmo comigo, podendo magoá-la profundamente.
– Sou hipócrita?
– Caro Hipócrita
Você não é hipócrita. As pessoas mudam e envelhecem, e começam a perceber quem gostam de ter por perto e quem não. Amizades, como namoros, não precisam durar para sempre, principalmente quando se iniciam quando as pessoas ainda são muito novas, sem saber quem realmente são. Eu proponho uma solução mista. Primeiro, afaste-se por um tempo. Não o procure, não proponha encontros e, quando ele te procurar, diga que está sem tempo. Use a pandemia para isso: não é para você estar encontrando ninguém mesmo, e é normal que as pessoas não estejam muito próximas. Imagino que isso não vá resolver o seu problema, porém, e que um dia ele acabe perguntando por que você está tão distante. Se isso acontecer, é melhor que vocês tenham uma conversa. Não é para você fazer uma revisão do caráter do seu amigo e descrever com detalhes cada falha moral dele: isso seria cruel. Escolha uma ocasião recente em que ele fez algo que você considera errado e diga isso para ele. Diga que você ficou com essa história na cabeça, que você percebeu ao longo dos meses que talvez vocês tenham mudado muito e que prefere que fiquem afastados. Claro que vai ser horrível fazer isso. Mas não tem por que ficar prolongando uma amizade que já acabou.

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

 

Sobre a Autora

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados.

Sobre o Blog

Se Conselho Fosse Bom é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas.