PUBLICIDADE

Topo

“Socorro, estou obcecado por um cara. Até fiz plástica para conquistá-lo"

Universa

18/09/2020 04h00

(Pexels)

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

Olá, me apaixonei por um cara há cinco anos e ele me disse que jamais se interessaria por alguém como eu. Jurei pra mim mesmo que ainda o teria. Fiz dieta, plástica e agora me mudei para a quadra ao lado da dele. Queria ter o gostinho de desprezá-lo e, se eu o tivesse por pelo menos um dia, seria a minha realização. Só que acho que isso se tornou uma obsessão para mim, um objetivo de vida sem sentido. Mas o impulso da vingança continua muito forte, o que eu faço?
– Estranha obsessão
– Caro estranha obsessão
Você obviamente não está tendo uma reação saudável a uma rejeição. Por mais que esse cara possa ter sido detestável (e realmente foi) ao falar que jamais ficaria com você, você precisa tirá-lo do centro da sua vida. Faz meia década que isso aconteceu e você ainda está tomando decisões com base nessa pessoa. Você passou por uma operação cirúrgica para ficar do agrado dele! Você se mudou para a rua da casa dele! Quais são as suas intenções com a mudança? Poder observá-lo dentro de casa? Vigiá-lo quando ele entra e sai do apartamento? Isso é muito preocupante e beira o criminoso. Eu imagino que você não conte esses detalhes para os seus amigos, mas se ninguém mais na sua vida te disser que isso não é aceitável, eu posso fazê-lo: isso não é aceitável! Por favor, procure ajuda psicológica. Com a ajuda da terapia, você vai entender que o problema não é esse homem –que não tem nada a ver com a sua vida– e poderá focar nos seus reais problemas.

Veja também:

Tenho 35 anos e estive solteiro por uns dez anos, aproximadamente. Há três meses, comecei namorar uma mulher incrível, estou gostando muito dela. Tudo entre nós é ótimo, a parceria, a pegação, a companhia, o sexo é incrível… Tudo mesmo. Porém, ainda sinto MUITA vontade de transar com outras mulheres (não a traí, mas já tive oportunidade e a vontade foi imensa). Sou um canalha? Será que com o tempo essa vontade vai diminuir e eu realmente vou "sossegar"? Não é machismo, peloamordedeus, não confunda. Me acostumei a ser solteiro desde sempre e gostava dessa vida também, mas ela é demais e por isso engatei esse namoro. Mas ter esses desejos tá complicado!
– Nem livre nem desimpedido
– Caro nem livre nem desimpedido
Realmente, pode ser que você tenha desacostumado com a vida comprometida. Três meses é bem pouco tempo para mudar hábitos que duraram uma década inteira. Eu diria para você tentar segurar a onda por mais um tempo, para ver se essas vontades sossegam. Nesse meio tempo, evite lugares em que você poderia "cair em tentação": saia mais com a sua namorada, faça programas com amigos, leve-a junto nas suas saídas, tente bolar essa nova rotina. Ainda tem uma pandemia rolando no mundo: olha que boa hora para ficar em casa assistindo à Netfllix! Agora, pode ser que você nunca mais se acostume a ter um namoro monogâmico. Nesse caso, você terá de ser honesto com a sua namorada. Nem todo mundo aceita ter um relacionamento aberto, mas imagino que você já saiba disso. Eu acredito que esse seu desejo incontrolável não seja machismo da sua parte –desde que você também aceite a possibilidade de ela fazer o mesmo. Talvez ela não banque a sua proposta. Mas infelizmente eu não vou te dar passe livre para você sair pegando meio mundo sem que ela saiba.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre a Autora

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados.

Sobre o Blog

Se Conselho Fosse Bom é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas.