Se Conselho Fosse Bom http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br Se Conselho Fosse Bom é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Fri, 18 Oct 2019 07:00:11 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 “Estou saindo com um homem casado e não consigo parar. Como me afastar?” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/10/18/estou-saindo-com-um-homem-casado-e-nao-consigo-parar-como-me-afastar/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/10/18/estou-saindo-com-um-homem-casado-e-nao-consigo-parar-como-me-afastar/#respond Fri, 18 Oct 2019 07:00:11 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=123

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

Ela só quer…

“Oi, preciso de ajuda. Sou evangélica e não posso ter namoros com homens fora da igreja e nem pode haver sexo antes do casamento. Tem que namorar e logo casar. Tenho minha casa, meu filho, meus gatos, tenho minha rotina, sabe. Eu gosto estar sozinha, ver Netflix, enfim, coisas de quem mora só. Porém, às vezes tenho vontade de ter uma conversa adulta, de um abraço, de um chamego – mas quando penso que tenho que ter um namoro sério, pra casar e voltar a viver toda aquela rotina de novo, me dá um desespero. Não consigo nem pensar em ter que transar! Minha dúvida é: será que é errado querer namorar sem compromisso, com cada um na sua casa, sem aquelas formalidades de casamento? Eu sei que é contra o que meu pastor prega, mas sei lá fico em conflito. Pode me ajudar?” Ass.: Ovelha perdida

Cara ovelha perdida,
Religião é um assunto espinhoso, e não conheço as particularidades do seu pastor ou da sua igreja, é claro. Dito isso, não me parece que você esteja pedindo nada de absurdo. Todo mundo tem o direito de se relacionar com calma, no seu próprio tempo, sem pressão para casar e firmar compromissos para o resto da vida. Você já foi casada e sabe que não é uma coisa leviana, que dá trabalho e exige muita dedicação, e justamente por isso também não deveria ser uma imposição ou algo a ser resolvido de qualquer jeito. As suas opções não deveriam ser subir no altar ou ficar sozinha no Netflix para sempre – todo mundo merece afeto e companhia. Tem um meio-termo muito razoável aí no meio – e existem dezenas de congregações que entendem isso e que também podem contemplar a sua fé. Acho que vale pensar nisso.

Veja também

Eu sou a outra

“Olá, tenho 35 anos e fiquei sozinha por 2 anos. Há 2 meses conheci um moço de 31 anos e começamos a sair. Mas algumas atitudes dele me fizeram desconfiar de que ele era casado. Quando o apertei, ele sumiu por uma semana, e depois confirmou o que eu temia. Ele realmente é casado e, segundo ele, o casamento não vai bem (sim, é a desculpa que sempre usam). Mas apesar de eu sempre ter sido uma pessoa decidida e contra entrar em um relacionamento desse tipo, com ele não consegui tomar uma atitude. Continuo saindo com ele, mas vivo em constante conflito interno. Não consigo me afastar. O que fazer?” Ass.: A outra

Cara a outra,
Infelizmente, não tem fórmula mágica e indolor para a sua situação, mas você vai ter que terminar o relacionamento. E o melhor é que seja imediatamente. Ele não vai largar a esposa o dele – sim, você sabe que ele está apenas inventando desculpas. Lembre-se que ele nem teria te contado que é casado, se você não tivesse perguntado. Você vai se envolver cada vez mais – e vai acabar bloqueando a sua cabeça para outras pessoas interessantes que possam cruzar o seu caminho e te fazer feliz de verdade. A boa notícia é que vocês está apenas dois meses nessa situação. Fuja antes que o rolo fique enrolado demais.

]]>
0
“Me apaixonei por uma camgirl, mas não consigo aceitar o trabalho dela” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/10/11/me-apaixonei-por-uma-camgirl-mas-nao-consigo-aceitar-o-trabalho-dela/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/10/11/me-apaixonei-por-uma-camgirl-mas-nao-consigo-aceitar-o-trabalho-dela/#respond Fri, 11 Oct 2019 07:00:08 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=119

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

Cliente envolvidão

“Aconteceu de me envolver com uma Camgirl. Esta pessoa, assim como eu, é casada. E, depois de um certo tempo sendo seu cliente no site, acabamos nos envolvendo. Realmente estou gostando dela. Mas existe esse hiato entre nós que é esse trabalho que ela faz. Para mim, é muito difícil aceitar um relacionamento onde a pessoa que gosto está a disposição de outros para simulações sexuais. Sei que foi lá que a conheci e onde tudo começou, mas, diferentemente de seu marido, não consigo aceitar tamanha exposição. Sinto ciúmes. Tento controlar mas interfere no relacionamento. Fico extremamente desconfortável com a situação. Sei que muitas das coisas que ela faz é apenas uma simulação, mas acho que, como eu consegui ter acesso a ela, outros poderão fazer o mesmo. Isso me corrói. Temos um relacionamento gostoso, mas não confio nela. Já tentei separar, mas sempre voltamos a nos querer. Como faço para abandonar esta situação de vez?” Ass.: Voyeur apaixonado

Caro voyeur apaixonado,
Para conseguir responder à sua pergunta, vou ter que ignorar a informação mais importante da sua carta: o fato de que você é casado. Para poder focar no problema da camgirl, vou pressupor que você e a sua esposa tenham um relacionamento aberto, ou que ela saiba do seu envolvimento com outra pessoa. Caso contrário, a pergunta não é se você deve aceitar que a sua namorada seja uma camgirl — mas, sim, se a sua esposa aceita que você namore uma camgirl.
Então vamos lá.
Primeiro, você precisa entender o que exatamente espera do seu relacionamento com a camgirl. Se vocês dois são casados com outras pessoas, imagino que não seja um relacionamento que envolva filhos, natal com a família, passeio no shopping no domingo de tarde, boletos para pagar. Parece ser um relacionamento casual, com encontros esporádicos. Se você não vai assumir todas as contas dela, por que acha que ela deveria largar o trabalho? Também é difícil não pensar na ironia que é você tê-la conhecido como uma camgirl, ao mesmo tempo em que teme os outros clientes. O ponto central é que ela te conheceu assim, ganha dinheiro assim, tem um marido que a acolhe assim — então realmente não cabe a você “aceitá-la”. Não dá para dizer que você foi pego de surpresa nessa. Se você não consegue se relacionar com alguém que se expõe na internet — depois de justamente tê-la conhecido enquanto ela se expunha na internet — a solução é bem simples: termine de vez, bloqueie no whatsapp, desligue a internet em casa. Não dá para ter ambas as coisas.

Veja também

Romance no trabalho

“No meu trabalho, circulo por quase todas as áreas para fazer entregas de documentos diversos. Numa dessas, entrei numa sessão onde estavam duas belas garotas, que eu conhecia só de vista, só de ir ao local entregar algo. Em uma dessas “visitas”, Fulana que me atendeu perguntou meu nome, mas disse que foi em nome da amiga Ciclana, que também estava no local. Eu disse meu nome, e perguntei o da amiga, já que o de Fulana já sabia. Ciclana me falou o nome. Aí a Fulana que perguntou meu nome, perguntou se eu era casado. Disse que não, mas que “quem sabe um dia”. Ambas sorriram, agradeci pelo atendimento e me retirei. A pergunta é: que conclusão tirar desse episódio? Adendo: Fulana é solteira. Ciclana é casada.” Ass.: Beltrano

Caro Beltrano,
A conclusão é que Ciclana, mesmo casada e tudo, está a fim de pular a cerca com o rapaz que circula entregando documentos. Me parece uma péssima ideia se envolver com a mulher casada do seu trabalho — e eu apostaria 30 reais que você não é o único alvo dela. Foco total na Fulana, que, além de solteira, também é bela. Boa sorte!

]]>
0
“Estou ficando com uma mulher casada cujo marido está em coma. E agora?” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/10/04/estou-ficando-com-uma-mulher-casada-cujo-marido-esta-em-coma-e-agora/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/10/04/estou-ficando-com-uma-mulher-casada-cujo-marido-esta-em-coma-e-agora/#respond Fri, 04 Oct 2019 07:00:03 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=101

Que situação, hein, amigo? (iStock)

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

Se ele morrer, ficaremos juntos

“Conheci uma garota da minha idade, estudamos juntos, mas a nossa situação é… peculiar. O marido dela está em coma há 3 anos. Já estamos nos envolvendo há 3 meses e estamos nos dando superbem. Até pelo fato de eu ser muito carinhoso, e ela também. Ela me diz que, assim que se regularizar a situação dela, ou ele voltar à consciência ou morrer, ficaremos juntos. Devo continuar nessa situação?”  Ass.: Eu não estou em coma

Caro rapaz que não está em coma,
Não acho que vocês estejam fazendo nada de errado. Faz três anos que o marido da sua namorada está em coma e ela tem todo o direito de tocar a vida. Não conheço os detalhes do estado de saúde do marido ou o quê exatamente os médicos dizem, então só ela poderá saber se esperar ele acordar é uma expectativa realista. Se não for, acho que você deve ter paciência com ela. Para você, ela é uma mulher desimpedida, mas, para ela, ela continua casada. Para ficar com você de vez, ela precisa aceitar que o casamento acabou e que o marido provavelmente não vai voltar. Isso pode demorar mesmo. Talvez ela queira continuar sendo a cuidadora do marido mesmo se estiver com você, talvez tenha dificuldade em explicar para a família que conheceu outra pessoa. De qualquer jeito, dê mais um tempo para ela tomar uma decisão. Para todos os efeitos, vocês já estão juntos, afinal.

Veja também

Caso com quem não amo?

“Antes de ficar noiva, eu saía com rapaz de outra cidade. Nos envolvemos e ele falou que ia voltar para me ver, mas sempre acontecia alguma coisa e ele acabava não vindo. Ainda assim, vivia dizendo que estava com saudades. Nesse meio tempo, encontrei uma pessoa maravilhosa que me trata com rainha e diz que me ama. Nós ficamos noivos, mas eu ainda amo a outra pessoa. Eu fico meio perdida porque sempre quis construir uma família. Mas não o amo e sim o rapaz da outra cidade”. Ass.: Noiva, quase para casar

Cara noiva quase para casar,
Não case com ninguém: nem com o seu namorado, porque você não gosta dele – e nem com o moço da outra cidade, porque, se ele nunca foi para a sua cidade te visitar enquanto vocês estavam juntos, parece que ele não gosta de você. 

Apaixonada pelo doutor, mas com medo

“Trabalho num hospital há 6 anos e sempre tive um amor platônico por um médico. Quando comecei a trabalhar lá, ele namorava e eu era casada. Hoje a situação é bem diferente. Eu me divorciei e ele se separou da namorada. Pois bem, um dia consegui o contato dele e começamos a conversar. Ele me convidou para ir no consultório dele — e aí aconteceu o que previa. Rolou um sexo. Mas ele não sabe desse meu sentimento por ele. Tenho medo de me declarar e ele achar que estou interessada na condição financeira dele. Ou tenho medo de me declarar e ele querer que eu vá no consultório de novo. Tenho vontade de chamar ele para sair e comer uma pizza, mas morro de medo de ele se afastar. O que faço, me ajude!” Ass.: Não sou paciente

Cara não-paciente,
Chame ele para comer uma pizza. Pelo que você contou, parece que ele está mais interessado em sexo do que em namoro, mas realmente não dá para ter certeza a essa altura. Você não precisa se declarar. Convide-o para comer ou beber alguma coisa. Se ele disser para você ir direto no consultório, diga que você prefere ir mais devagar e conhecê-lo melhor. Se ele não topar, você já sabe. Mas seria bom também para você conversar um pouco com ele para saber se isso tudo que está sentindo é realmente uma paixão ou puro platonismo.

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

]]>
0
“Meu namorado é autista, e não precisa tanto de sexo. E agora?” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/09/27/meu-namorado-e-autista-e-nao-precisa-tanto-de-sexo-e-agora/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/09/27/meu-namorado-e-autista-e-nao-precisa-tanto-de-sexo-e-agora/#respond Fri, 27 Sep 2019 07:00:57 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=107 Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

Amor sem sexo

“Olá, estou há três anos em um relacionamento com um rapaz Asperger (do espectro autista). Nesses três anos, aconteceram diversas idas e vindas, por falta de carinho, de sentimentos, de sexo. Como ele é Asperger, não sente necessidade das mesmas coisas que eu, neurotípica. Eu me anulei diversas vezes por saber desse problema que ele tem e as brigas sempre eram com um pedido meu para ele buscar ajuda profissional, o que não aconteceu e pelo visto nem vai. Eu o amo, é uma pessoa maravilhosa, mas acredito que meu sentimento tenha se transformado em algo mais pra amizade, pois com a falta de afeto, de sexo, de desejo da parte dele, meu sentimento é confuso. É difícil terminar essa relação, mas não quero viver sempre insatisfeita e infeliz. Existem vários casos de Asperger casados, com filhos, mas que buscam ajuda profissional para isso. Não sei o que fazer”. Ass.: Neurotípica

Cara neurotípica,
Para não falar nenhuma besteira, resolvi consultar uma especialista. A Carolina Wegener, psicóloga que atende principalmente pessoas do espectro do autismo, me contou que a questão da intimidade e do contato sexual pode ser especialmente complicada para pessoas do espectro autista porque envolvem muita comunicação não-verbal – algo com a qual elas costumam ter dificuldade. “Sexo é uma forma de comunicação de altíssima complexidade. Não depende só de palavras. Tudo muda: o rosto da pessoa, o jeito que o corpo se mexe, o timbre de voz. Pode ser que ele não conheça todos esses tipos de interações”, diz Wegener. Ela também me explicou que é comum que autistas sofram de alto grau de ansiedade ou de algum tipo de superestímulo dos sentidos. Para uma pessoa que tem o tato superestimulado, por exemplo, um abraço pode ser doloroso — mas não sabemos, claro, se esse é o caso do seu namorado.

De acordo com Wegener, terapia realmente seria o indicado para ele lidar com essas questões. Se ele se recusa a ir sozinho, vocês também podem ir juntos numa terapia de casal. “Mas uma coisa que é bom se atentar é que muitas vezes quem se envolve com pessoas do espectro acabam virando cuidadores dos parceiros. É bom prestar atenção nisso”, diz ela. Suas queixas são todas justificadas, e todo mundo merece um relacionamento que envolva sexo e intimidade. Como você mesma disse, seu namorado parece ter muitas qualidades, além de ter um autismo de altíssimo funcionamento – mas tudo indica que o relacionamento vai precisar de acompanhamento profissional para ir para frente.

Veja também

Casar ou não?

“Saudações. Estou em um relacionamento há pouco mais de dois meses. Temos algumas diferenças, como gosto musical e gosto por bebida (eu não bebo), mas nos damos muito bem na cama. Somos pessoas maduras, por volta dos 50 anos. Eu nunca fui casado e sempre tive relacionamentos de curta duração, de no máximo 3 meses. Ela já foi casada e tem uma filha adulta e vive dizendo que não quer mais saber de casamento. Ela terminou um relacionamento de 5 anos em maio. Eu vivia de peguetes. Sinto que estou ficando atraído por ela e penso que ela também está correspondendo. Mas ela me diz que estou à vontade para fazer o que quiser, que não preciso dar satisfação. Quando ouço isso entendo que ela me vê como um passatempo e que também pode fazer o que quiser. O padrão de vida dela é bem melhor que o meu. Continuo com esse relacionamento, pois ainda está muito recente, ou parto pra outra?” Ass.: Pronto pra namorar

Caro pronto pra namorar,
Você e a sua namorada estão em momentos completamente opostos da vida. Você disse que nunca teve um relacionamento de longa duração, então deve imaginar como ela está se sentindo depois de terminar um casamento, não? Quando ela diz que você pode fazer o que quiser, ela provavelmente também está se incluindo nesse combinado, sim. Claro que você pode partir para outra, mas se, pela primeira vez em 50 anos você ficou com vontade de ter um relacionamento duradouro com uma pessoa específica, por que não ter um pouco mais de paciência? Dê mais um pouco de tempo para ver o que vai acontecer. Talvez ela precise de mais alguns meses para se decidir, mas pense pelo lado positivo: se tem alguém que sabe se relacionar sem ser com compromissos marcados a ferro e fogo, essa pessoa é você.

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

]]>
0
“Não tenho dinheiro para ser madrinha do casamento da minha amiga” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/09/20/nao-tenho-dinheiro-para-ser-madrinha-do-casamento-da-minha-amiga/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/09/20/nao-tenho-dinheiro-para-ser-madrinha-do-casamento-da-minha-amiga/#respond Fri, 20 Sep 2019 07:00:38 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=91

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

Dá pra recusar?

“Eu tenho uma amiga de infância que vai se casar no ano que vem. A gente era bem amiga, mas já faz um tempo que não somos tão próximas, na verdade, eu só vi o noivo dela uma única vez, no ano passado. Ela me chamou para ser madrinha do casamento. Vai ser um daqueles casamentos com eventos como: despedida de solteira na praia, vestido igual para as madrinhas, dia da noiva etc. Eu gosto muito dela, mas eu não tenho esse dinheiro pra gastar em vestido novo, ou viajando com pessoas que eu nem conheço. Sei que ela chamou um monte de menina pra ser madrinha dela. Posso recusar?” Ass.: Madrinha de araque

Cara madrinha de araque,
Não se sinta mal de pular fora de um evento como esse. Não entendo muito por que as madrinhas precisam estar uniformizadas e ninguém é obrigado a gastar centenas de reais num vestido tomara-que-caia púrpura que será usado uma única vez depois de uma sessão de maquiagem de roupão tomando champagne. Ainda mais se vocês não são tão próximas. Diga algo como: “Rebeca, infelizmente, as coisas andam muito apertadas para mim, e eu não consigo pagar um vestido novo agora, ou ir viajar. Entendo se você preferir chamar outra pessoa no lugar.” Se ela fizer questão da sua presença, provavelmente vai liberar você da despedida de solteira e da festa no salão, e talvez até encontrar alternativas ao vestido púrpura. Se não rolar, paciência. Felizmente, ainda faltam meses para a festa, tempo o suficiente para ela encontrar uma substituta com um orçamento compatível

Veja também

Pressão demais

“Larguei um emprego em que não estava tão feliz, para me dedicar a um trabalho que teoricamente parecia perfeito para mim. Era um emprego que discutia uma temática que eu gostava muito. Acontece que desde que comecei no serviço, me sinto diminuída, como se eu não soubesse de nada, nem mesmo as coisas que eu já sabia fazer antes. Me sinto questionada o tempo todo, incapaz de fazer as coisas e pressionada pela chefia em desenvolver algo sensacional desde o primeiro dia. Meu chefe, além de ficar acompanhando cada passo que eu dou, fica dizendo que tudo está ruim e fala que “paga muito caro pra ter você aqui”. Isso nunca me aconteceu antes. Às vezes penso que vivo naquilo que chamam de síndrome de impostora, mas também considero que vivo um descaso do meu chefe mesmo, que talvez sem perceber acaba me colocando pra baixo sempre. O que devo fazer?” Ass.: Sou uma impostora?

Cara impostora,
É impossível você não estar se sentindo uma impostora se seu chefe diz todo dia que o que você faz está errado. Até o Steve Jobs ficaria com a auto-confiança abalada. Me parece também que seu chefe é exageradamente cruel com você (especialmente a parte do “pago por caro por você”). Pode ser que ele não tenha sabido te explicar o que espera de você – o que também indica uma falha dele enquanto gestor. Mas para mim o sinal mais claro de que tem algo errado é quando você diz que nunca se sentiu assim nos outros empregos que teve. Ainda assim, acho que vale dar um gás extra nesse começo, marcar uma conversa para “alinhar expectativas”, trabalhar um pouco além do combinado, tentar adivinhar as demandas e gastar um tempinho a mais nas entregas – só pra ver se você pega o jeito do emprego novo. Se mesmo assim o seu chefe não ficar feliz, talvez seja melhor sair distribuindo uns currículos por aí. Infelizmente, nem sempre os lugares que parecem legais são geridos pelas melhores pessoas.

Está precisando de um conselho também? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

]]>
0
Pede conselho: “Sou amante da minha prima há três anos. O que eu faço?” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/09/13/sou-amante-da-minha-prima-ha-tres-anos-o-que-eu-faco/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/09/13/sou-amante-da-minha-prima-ha-tres-anos-o-que-eu-faco/#respond Fri, 13 Sep 2019 07:00:06 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=86 Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

“Sou amante da minha prima”

“Faz três anos que estou tendo um relacionamento com uma mulher casada de 37 anos com filhos. Eu tenho 30 anos e vivo uma circunstância, digamos, peculiar: primeiro porque somos primos, mas não de primeiro grau. Depois porque ela mora em Minas Gerais e eu em São Paulo. Ainda assim, nos vemos todo mês. Nossa família nunca desconfiou de nada. Só teve uma vez uma fofoca sobre a gente, mas não foi pra frente. O problema é que a gente se fala todo dia por telefone. O sexo é ótimo, temos uma química incrível. Sei que eu sou apaixonado por ela e por mais que eu saiba que a gente nunca vai pode ficar juntos já não consigo ficar com outra pessoa sem lembrar dela. A gente criou mundo só nosso, somos namorados de verdade, tanto que a gente comemora dias dos namorados e temos até datas especiais. Não sei o que fazer.” Ass. Amante apaixonado

Caro amante apaixonado,
Infelizmente, eu trago más notícias. A não ser que você tome alguma atitude, a sua situação não vai mudar. A sua prima está vivendo a vida que pediu a deus: tem um casamento estável, filhos e um amante que topa viver como coadjuvante há anos. Nessas condições, não acho que ela vá se separar do marido para ficar com você, está tudo muito confortável para ela. Mas o pior mesmo é que a sua vida está empacada. Só você poderá mudar isso. Vai ser ruim, vai ser dolorido, mas finalmente essa distância entre vocês dois vai servir para alguma coisa. Termine o “namoro” e corte o contato por um bom tempo. Bloqueie o número e evite festas de família, se for preciso. Lembre-se, você também merece ficar com alguém que esteja realmente disponível para você.

Veja também

Casa ou compra uma bike?

“Olá, estou passando por um dilema na minha vida e preciso de ajuda. Estou namorando há 6 anos e há alguns meses ficamos noivos. Nosso relacionamento ia mal já há algum tempo antes do noivado, queria muito terminar, mas não tinha coragem, afinal já estávamos juntos há muito tempo. Até que finalmente tomei coragem e pedi para terminar. Ele reconheceu os erros dele e no final acabamos decidindo apenas por dar um tempo, o que não era exatamente o que eu queria, mas já foi muito bom, me senti muito feliz. Continuamos conversando e ele realmente parece ter mudado para melhor e voltamos a ficar juntos. Eu gosto de estar com ele, e realmente ele está diferente, mas não tenho certeza do que realmente sinto. Não sei se quero voltar e casar com ele ou descobrir como é a vida de solteira, pois nunca tive ninguém antes dele”. Ass.: Indecisa

Cara indecisa,

Por favor, de jeito nenhum, sob nenhuma circunstância, case com esse rapaz. Pela sua carta, não me parece que você ainda esteja gostando dele. Entendo o seu medo de terminar um relacionamento longo, mas eu sinto que você já sabe o que deve fazer. Lembre-se de como ficou feliz quando vocês deram um tempo — se isso não for um sinal, eu não sei o que é. Mesmo que você decida namorá-lo mais um pouco, já deixe claro que desse mato não sai casamento. Imagine toda a papelada com a qual você vai ter que lidar quando as coisas não derem certo?

Está precisando de um conselho também? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br 

]]>
0
“Os filhos do meu vizinho fazem barulho o dia inteiro. Como falar com ele?” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/09/06/os-filhos-do-meu-vizinho-fazem-barulho-o-dia-inteiro-como-falar-com-ele/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/09/06/os-filhos-do-meu-vizinho-fazem-barulho-o-dia-inteiro-como-falar-com-ele/#respond Fri, 06 Sep 2019 07:00:55 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=76

Criança faz barulho mesmo? Faz.

“Moro em um condomínio grande que, eu acho, tem paredes bem finas. Meu problema é com o vizinho de cima, que tem dois filhos, de 3 e 5 anos. Eles são boa gente, mas as crianças são muito barulhentas. Elas correm o dia inteiro pela casa, gritam, pulando, ficam jogando coisas no chão. Eu fico muito irritado, principalmente de manhã, quando o barulho começa às 7 horas, às vezes antes. Como que eu poderia falar alguma coisa para eles?” Ass.: Vizinhança intensa

Caro vizinhança intensa,

Infelizmente, pela sua descrição, as crianças não estão fazendo nenhum barulho fora do normal. Humanos pequenos costumam correr em vez de andar, e gritar em vez de falar. Também têm hábitos estranhos, como acordar muito cedo de livre e espontânea vontade. Se eles estivessem fazendo barulho de madrugada ou batendo no chão com objetos de metal, acho que caberia uma visitinha rápida, tipo: “Oi, são 3 da manhã, e o Júnior não para de jogar panelas no chão. Vocês poderiam dar uma olhada nisso?”. Mas, de novo, só se estiverem infringindo alguma regra do condomínio. 

De resto, acho que tampões de ouvido podem ser uma boa solução para as suas manhãs. Lembre-se que todo mundo — inclusive você — já foi criança e atormentou alguém um dia, e que as pessoas que mais devem estar enlouquecidas com o barulho dessas crianças específicas são justamente aquelas que as produziram.

Veja também

Mas agora?

“Sou de Brasília e uma colega de trabalho, que já se aposentou, tinha diariamente um enorme mau hálito e um mega super CCzão, uma “sovaqueira” mesmo. Todo mundo se sentia incomodados, mas ninguém tinha coragem de falar com ela, tratava-se de uma senhora, a pessoa mais amiga e gentil do mundo. Enfim, tarefa difícil. Eu ficava triste pela história de vida dela, era ela linda, com olhos verdes, mas nunca teve um namorado. Sempre tive peso na consciência de não ter falado isso pra ela. Depois de tanto tempo (faz 5 anos que ela se aposentou), vale a pena procurar ela pra falar a respeito?” Ass.: Dica atrasada

Caro dica atrasada,

Depois da carta que respondi sobre
o melhor amigo com bafo, recebi algumas dúvidas parecidas. No outro post, o meu conselho foi que a pessoa falasse com o bafudo em questão, mas, no seu caso, o meu conselho é o oposto. Infelizmente, não sei como alguém poderia dar esse toque para uma pessoa que desapareceu da sua vida há cinco anos sem parecer um completo maluco. Por mais bem-intencionado que seja o gesto, ele inevitavelmente será recebido como uma ofensa, uma intromissão enorme. Então é melhor deixar para lá.

]]>
0
“Larguei a ex para ficar com um homem, mas não estou feliz. E agora?” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/08/30/larguei-a-ex-para-ficar-com-um-homem-mas-nao-estou-feliz-e-agora/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/08/30/larguei-a-ex-para-ficar-com-um-homem-mas-nao-estou-feliz-e-agora/#respond Fri, 30 Aug 2019 07:00:54 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=69

E agora? Foto: Pexels

“A minha é uma história longa. Casei muito cedo, aos 16 anos, com uma mulher. Tivemos dois filhos juntos. Até aí, tudo bem. Acontece que o casamento entrou numa rotina e minha ex-esposa não estava dando a atenção que eu achava que merecia, e chegamos a ficar meses sem ter relações sexual. Então, em novembro de 2017, eu conheci um rapaz de 22 anos que trabalhava na mesma empresa que eu. Ele também é casado e a esposa dele estava grávida. 

Em fevereiro de 2018, viajamos para um treinamento da empresa e ficamos hospedados no mesmo quarto de hotel. Eu fiquei bêbado e ele cuidou muito bem de mim, e no outro dia eu não parava de pensar nele. Voltamos para casa e 10 dias depois nos grudamos de uma forma sem explicação. Quando fui ver, já estava completamente envolvido. Assim, começamos a ter um caso escondido. A gente se via de segunda a sexta e teclávamos muito, escondidos das esposas. 

Veja também

No fim do ano passado, resolvemos nos divorciar e estamos morando juntos. Mas logo depois ele acabou transando com uma ex dele, e eu só soube porque ela me contou. Aí ele chorou e pediu perdão e disse que era apenas uma despedida da vida de hétero. Eu o perdoei, porém às vezes sinto que ele está meio arrependido comigo. Hoje estou vivendo com ele a mesma coisa que vivia no meu casamento, sinto que ele não quer sexo. Ele me trata com tanto carinho, os beijos são maravilhosos, me dá muita atenção, mas NÃO TEM SEXO. Aí eu fico inseguro e me pego chorando, achando que não sou desejado. Socorro, o que eu faço?” Assinado: Confuso d+

Caro confuso d+,

Primeiro, acho que é importante você se acostumar com a ideia de que o seu atual namorado talvez seja bissexual, e talvez se sinta realmente atraído por homens e mulheres — e que o caso que ele teve com a ex não foi “uma despedida da vida de hétero”. Só você poderá dizer se consegue viver com a pulada de cerca que ele deu, mas talvez seja bom vocês terem uma conversa honesta sobre o assunto. Segundo, também acho importante perguntar se vocês estão dando a devida atenção aos filhos que tiveram com suas ex-esposas. Vocês se apaixonaram e decidiram morar juntos, e ninguém tem a obrigação de ficar num casamento em que não é feliz — mas dos filhos vocês têm a obrigação de cuidar, sim. 

Dito tudo isso, talvez você ainda não tenha encontrado uma pessoa realmente compatível sexualmente com você, seja homem ou mulher. Pela sua descrição, não parece que ele “está arrependido com você”, ele parece uma pessoa carinhosa e dedicada ao relacionamento. Também é importante lembrar que sexo não é a única forma de demonstrar afeto, embora seja parte essencial num namoro, ainda mais no começo de um relacionamento, como o seu. Mas tem gente que precisa de mais ou menos sexo, e isso varia de pessoa para pessoa, e do momento da vida. Se você achar que precisa de mais do que está recebendo, talvez vocês possam pensar em outros arranjos (relacionamento aberto, terapia etc). Ou mesmo procurar um outro parceiro, um que talvez venha acompanhado de menos complicações.

]]>
0
“Socorro, meu melhor amigo tem bafo. Como conto para ele?” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/08/23/socorro-meu-melhor-amigo-tem-bafo-como-conto-para-ele/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/08/23/socorro-meu-melhor-amigo-tem-bafo-como-conto-para-ele/#respond Fri, 23 Aug 2019 07:00:15 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=53

Como falar que alguém tem bafo?

“Um dos meus melhores amigos tem algum problema na boca e está sempre com um bafo… pesado. É difícil até de conversar perto porque o cheiro chega mesmo, aquele fedor. Pior que eu sei que ele escova os dentes, porque eu já vi. Acho que é por isso também que ele nunca tem uma namorada. Não queria ter essa conversa, mas alguém deveria dar um toque nele. Pensei em mandar um e-mail anônimo”. Assinado: Boca fechada

Caro boca fechada,

Como você é um dos melhores amigos dele, acho que é a pessoa indicada para fazer esse sacrifício pelo bem da humanidade. Infelizmente, não tem como dar essa notícia sem ir direto ao ponto. Esqueça o e-mail anônimo, porque isso só vai fazer com que ele se sinta constantemente exposto: aposto que vai ficar se sentindo observado e julgado por todo mundo ao redor.

O segredo é fazer com que não pareça algo grave e pesado, nem dar indiretas. De preferência, conte uma mentirinha: diga que você só reparou no bafo na última vez em que vocês se viram. Dito tudo isso, aqui vai um roteirinho: “Cara, preciso te falar uma coisa que reparei na semana passada. Você tá com um pouco de bafo. Sei que você escova os dentes e tal. Então será que não é melhor você ver isso aí?” Prepare-se porque ele pode ter uma reação agressiva: te xingar, ficar na defensiva ou ir embora – o importante é você não entrar na discussão. Aí é torcer para que ele pense no que você falou e marque um dentista.

Veja também

 

Ter filho ou comprar uma bicicleta?

“Tenho 31 anos e meu marido 34. Ele está louco para ter um bebê, mas tenho medo de não conseguir balancear maternidade, casamento e carreira. Como ter uma família de comercial de margarina e ser uma mulher bem sucedida na carreira?” Assinado: Relógio biológico (dos outros)

Cara relógio biológico,

Bem-vinda à pergunta de 1 milhão de reais. Não acho que exista uma resposta fácil para ela. Como o filho vai ser gestado dentro do seu corpo e depois alimentado pelo seu peito, é inevitável que você passe por um período em que não estará 100% dedicada ao trabalho. E você tem toda razão em se preocupar. Em todos os países do mundo acontece o fenômeno chamado “penalidade materna”, uma queda na renda das mulheres depois que elas têm filhos. Para só ficar nas nações ricas, vale olhar um estudo feito pelo economista Henrik Kleven, da Universidade Princeton: o nascimento de um filho causa uma perda salarial de até 26% para as mulheres nos países escandinavos, de 44% nos EUA, e de até 61% na Alemanha. Homens, por sua vez, costumam ser promovidos quando se tornam pais porque começam a ser vistos como mais “responsáveis” e “comprometidos” com o trabalho.

Como é o seu marido que está doido para procriar, acho que você pode negociar os termos da criação desse filho. Primeiro, deixar claro que todas as funções serão divididas: das mais simples como trocar fralda e dar banho, às mais complexas como decidir em que escolinha botar ou que tipo de comida ele vai comer. Determinar que vocês vão se revezar na hora de faltar no trabalho nos dias em que o bebê estiver doente e não puder ir pra creche. Vocês podem combinar, por exemplo, que depois que seu filho já tenha uma certa idade, vocês comecem a priorizar a sua carreira, para recuperar o tempo “perdido”. Isso quer dizer, por exemplo, que você tenha mais disponibilidade de horários para trabalhar por períodos mais longos, enquanto ele fica com a criança. Tudo isso são sugestões, é claro, cada casal que sabe quais são os ajustes que podem ser feitos. Mas lembre-se sempre: no fundo, não são os filhos que desaceleram a carreira das mães, mas, sim, os parceiros que simplesmente não fazem a sua parte na criação das crianças.  

]]>
0
“Minha sogra reclama que a minha casa não está limpa. O que eu faço?” http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/08/16/minha-sogra-reclama-que-a-minha-casa-nao-esta-limpa-o-que-eu-faco/ http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/2019/08/16/minha-sogra-reclama-que-a-minha-casa-nao-esta-limpa-o-que-eu-faco/#respond Fri, 16 Aug 2019 07:00:22 +0000 http://seconselhofossebom.blogosfera.uol.com.br/?p=58 (Foto: Pexels)

Ela não aguenta mais o controle da sogra

“Minha sogra até que não é das piores, só tem uma coisa que me deixa louca. Toda vez que ela vai na nossa casa, ela fica “reparando na bagunça”. Ela dá aquela conferida no fogão, na louça em cima da pia, começa a organizar umas coisas que eu deixo em cima da mesa. Uma vez, eu juro que ela passou o dedo no rack da TV pra ver se tinha pó. Eu trabalho fora o dia inteiro e sei que a nossa casa podia estar mais ajeitada, mas é o que dá pra fazer. Estou a um ponto de bater boca com essa mulher!

– Sogrinha querida”

– Cara norinha querida

Está faltando um elemento muito importante na sua carta, aquele que conecta você com essa sogrinha de hábitos adoráveis: o seu marido. Vamos lembrar que o filhinho que ela botou no mundo também mora na mesma casa e tem tanta obrigação quanto você de deixar o lar nos eixos. Não é porque você é a mulher que precisa se sentir responsável pela manutenção da limpeza. Mais do que isso. Se vocês gostam da casa do jeito que ela é e decidiram que, não, não querem ficar esfregando o fogão antes de as visitas chegarem, é ele quem precisa avisar isso pra mãe dele. Na verdade, é ele quem deveria intermediar essa relação de uma forma geral. “Mãe, faz favor de tirar o dedo de cima do rack e senta no sofá que vou te servir um café. Prometo que vou procurar uma xícara limpa”, é um bom começo.

Veja também

Ela foi traída, mas ele é carinhoso e gentil

“Meu namorado me traiu. Ele foi fazer uma viagem de trabalho e foi lá que conheceu alguém e me traiu. Eu sei que na época eu não estava dando muita atenção pra ele. E ele é um homem carinhoso, romântico, gentil comigo. Sinto de verdade que ele me ama e fica pedindo para eu o perdoar, que quer me fazer feliz… Não sei o que fazer, me ajuda por favor.

– Fico ou vou?”

– Cara fico ou vou

Nem todas as traições são imperdoáveis. Depende muito da relação que vocês têm, se a traição é ou não uma coisa recorrente, se ele foi honesto com você depois, se está disposto a trabalhar pelo relacionamento. Pelo que você diz, seu namorado parece atender a vários desses critérios. Me parece também que você quer ficar com ele, o que também conta muito. Só você pode decidir se prefere ficar ou partir, mas nem sempre um escorregão no meio de um longo relacionamento funcional e respeitoso precisa terminar numa separação.

]]>
0